13 de novembro de 2010

Atleta quase morre em prova !!! Atletas ( e principalmente aos não atletas) leiam com atenção !

O colega Jorge, ultramaratonista, indicou essa postagem e repasso. Veja o relato completo http://correndoprajesus.blogspot.com/2010/11/bertioga-maresias-atleta-quase-morre.html
       Eu, Julie Kamkhagi, sempre fiz academia, fiz yoga etc. Corri muitas provas, até maratona. ...dei de presente para o meu marido: um mês de aula particular com meu treinador. Ele já fazia musculação há tempos, as vezes corria. Começou a fazer aula em julho, começou a se empolgar com seus tempos, em 2 meses ele já tinha tempo estimado de 10 km pra 46 min. Além da musculação corria 3 vezes por semana, ...  A corrida Bertioga Maresias seria sua estreia.
       Na semana anterior ele ficou com gripe forte, tomou Naldecon a semana inteira (o de dia e o de noite), ficou com tosse, tomou xarope, não fez musculação com personal, não foi na academia, não correu, a fim de se recuperar para a então primeira prova. Não definiu uma estratégia de prova junto com o treinador, simplesmente foi pra correr e chegar o mais rápido possível. ... . No dia da prova,  ia começar a aquecer quando recebi a ligação de que o Rafy tinha passado mal. cheguei lá, vi meu marido em coma, com contraturas musculares horríveis e condições completamente precárias de atendimento. Ele convulsionou por 55 minutos initerruptos, ... 
        A explicação médica de um dos maiores nomes da medicina- Rabdomiolise, lesão muscular seríssima que pode acontecer com pessoas que sofrem terremotos, maremotos, esmagamentos etc, mas embora raro também pode acontecer  por excesso de esforço físico , potencializada por gripe, Naldecon e a DEMORA NO ATENDIMENTO. Por muito pouco não levou a morte um cara saudável de 37 anos, esportista. Isso aconteceu com ele, mas poderia ter acontecido com qualquer outro esportista. . Quais são as lições e falhas?
-Definir ritmo e hidratação e seguir isso até o fim.
-Usar Polar ou Garmim (principalmente  atletas iniciantes em provas, que ainda não conhecem exatamente seu corpo e seu limite)
-Estar bem,  se sentir 100%,- NUNCA CORRER SE ESTIVER COM A RESISTÊNCIA BAIXA.
-Sempre consultar um médico antes de tomar um medicamento ( mesmo que um aparentemente inocente antigripal) pré prova. Fazer check up regularmente-Consultar e exigir um esquema de segurança  para as provas.
-Correr com consciência, responsabilidade, prudência e limite, pois algo que  é pra fazer bem para a  nossa saúde, pode ser transformar em um verdadeiro vilão.
        Espero que esse relato possa ajudar a transformar as corridas de rua em algo mais seguro e que os atletas e treinadores possam ficar mais conscientes e  responsáveis (eu me incluo nisso, pois sempre quis correr mais e mais rápido que a planilha indicava, sempre tendi mais ao exagero do que ao equilibrio e percebi que isso pode custar bem caro), portanto nunca é tarde para rever conceitos e melhorar. Deixe seu comentário.

2 comentários:

Marcelo Augusto disse...

MUITO INTERESSANTE ESTA MATÉRIA;
REALMENTE O USO DE MEDICAÇÕES TEM QUE SER CONTROLADO E INDICADO POR MÉDICOS OU PESSOA DE CONFIANÇA ABSOLUTA NO ASSUNTO.
UMA COISA QUE NÃO ENTENDI CARO RODRIGO: É SOBRE O POLAR E O GARMIM, SE CAUSAM DANOS TAMBÉM IGUAL AO NALDECON, OU SÃO LIÇÕES AO INVÉS DE FALHAS ?

NÃO QUE EU IRIA FAZER O USO NESTE MOMENTO, E SIM SÓ PARA TER UM ENTENDIMENTO E ORIENTAÇÃO, OK.
UM ABRAÇÃO CAMARADA!!!!!!

RODRIGO AUGUSTO disse...

E aí MArcelo, blz.
O Garmin e Polar, são marcas de relógios de corrida. Causam dano ao bolso, pois dependendo do modelo podem custar mais de mil reais. Hehehe, eu uso um simples só com cronômetro, p mim, o q vale é ser bem leve. Valeu